Os perigos do consumo em excesso do chocolate

Para os chocólatras de plantão qualquer ocasião é pretexto para consumir a guloseima. Apesar de alguns benefícios, o consumo em excesso pode ser prejudicial à saúde.

Com aproximação da Páscoa somos submetidos a uma overdose do produto em comerciais na TV e nos supermercados com aqueles “túneis” imensos de ovos de chocolate. Mas como saber qual o melhor, não só para o paladar, mas para a saúde?

O meetat ouviu a nutricionista Ana Rampelotti, coordenadora da pós-graduação em nutrição clínica e funcional da Faculdade IDE, no Recife (PE), sobre qual tipo de chocolate escolher.

Segundo a especialista, os melhores chocolates são aqueles que têm mais de 60% de cacau, pois eles possuem menos gorduras e ainda oferecem os benefícios do cacau.

A quantidade também importa e para quem gosta de chocolate como sobremesa todos os dias é preciso cuidado, alerta Ana Rampelotti. “Se o consumo for diário, é importante considerar a quantidade máxima de 20 gramas para mulheres e 40 gramas para homens. A qualidade do chocolate é ainda mais importante caso o consumo seja todos os dias”.

Para quem está de dieta e não vai abrir mão da tradição, a nutricionista recomenda escolher o ovo de Páscoa preferido no menor tamanho disponível no mercado.

Consumo moderado do chocolate

Mesmo optando pelos chocolates mais indicados, a palavra continua sendo cautela.  “Se consumido com frequência e em grande quantidade, o chocolate (especialmente aqueles mais pobres em cacau) pode levar ao aumento de peso, aumento de gordura na região abdominal, aumento do colesterol, aumento dos triglicerídeos, aumento do risco de diabetes e doenças cardíacas”, alerta Ana Rampelotti.

A nutricionista também alerta para as propagandas que prometem ser boas alternativas de quem busca uma Páscoa “mais saudável”. “Os chocolates diet (zero açúcar) devem ser consumidos apenas por pessoas que tem diabetes, eles não são mais saudáveis. Se por um lado eles não têm açúcar, por outro, são mais ricos em gorduras. Os chocolates light são mais difíceis de serem encontrados, eles têm 25% menos calorias quando comparados com o chocolate tradicional, essas calorias reduzidas podem ser por uma redução de açúcar ou gordura. Esse tipo de chocolate é interessante para quem busca controlar o peso, mas também não pode ser consumido em excesso”.

Fuja do chocolate branco. De acordo com a nutricionista Ana Rampelotti, ele é o que tem menos cacau e mais gordura saturada, que é aquela relacionada a doenças do coração e aumento dos níveis de gordura no sangue.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.