Estudos mostram que a carne cultivada pode ter enormes benefícios ambientais até 2030

A carne cultivada pode ter o mesmo custo de produção que a carne convencional em menos de 10 anos, além de ter uma pegada ambiental menor.

A afirmação é de dois estudos recém-lançados pelo The Good Food Institute (GFI) que analisaram o ciclo de vida e a tecno-economia da produção de carne cultivada em escala comercial com base nos dados fornecidos por empresas envolvidas na cadeia de abastecimento de carne cultivada.

Mais de 15 empresas e um órgão científico do governo de Cingapura participaram das pesuisas, incluindo cinco fabricantes de carne cultivada.

Os estudos usaram dados da indústria para modelar como a carne cultivada pode ser produzida até o ano de 2030 e avaliaram os custos e impactos ambientais de uma instalação em escala comercial que produz 10.000 toneladas métricas de um produto de carne cultivada no solo por ano.

Ganhos semelhantes não são esperados na indústria de carne convencional, onde os combustíveis fósseis são responsáveis por aproximadamente 20% das emissões de carbono em toda a cadeia de abastecimento.

Os países que visam reduzir sua pegada de carbono podem, portanto, alcançar uma taxa maior de redução de emissões se substituírem cada vez mais sua produção de carne por carne cultivada.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.