Fast foods se rendem ao hambúrguer vegetal

A preocupação com a pegada ambiental tem levado as principais redes internacionais de fast food a assumir compromissos para a redução de emissões de carbono por seus fornecedores de proteína animal. 

Nesta sexta-feira, 30, cinco delas –McDonald’s, Yum! (dona da KFC, Pizza Hut e Taco Bell), Chipotle, Domino’s e Wendy’s—vão anunciar Metas Baseadas na Ciência (SBTsagressivas para reduzir suas emissões de carbono. 

As mudanças nos hábitos dos consumidores também estão levando as empresas de fast food a se tornarem mais verdes.

Sanduíche Rebel Whopper, do Burger King, possui uma carne feita de plantas (Foto: Divulgação)

O McDonald’s deve testar um hambúrguer vegano McPlant nos principais mercados ainda este ano. A Domino’s acrescentou opções à base de plantas a seu cardápio no ano passado.

O Burger King lançou um novo “Rebel Whopper” baseado em plantas e anunciou suas ambições transição de até 50% do cardápio para proteína vegetal até 2030 no Reino Unido.

A Yum! tem a meta mais agressiva e pretende reduzir as emissões dos Escopos 1, 2 e 3 em 46% até 2030, alcançando emissão zero até 2050.

Em comum, as grandes redes citam a crescente demanda do público por alternativas à carne como razões para o lançamento de seus novos produtos.

Riscos climáticos

O setor de fast food enfrenta riscos climáticos significativos. Este ano, os produtores de gado dos EUA enfrentam custos de alimentação 30% mais altos devido à seca.

No Texas, os criadores de gado perderam US$ 228 milhões no mês passado devido aos danos causados por tempestades, com mortes de bezerros recém-nascidos, pastagens destruídas e cadeias de suprimentos interrompidas.

A mudança climática já está custando caro para a indústria.  A Fairr Initiative, coalizão de investidores com US$ 38 trilhões de ativos sob gestão, calculou que a potencial futura tributação do carbono poderia custar a 40 produtores globais de proteína mais US$ 11,6 bilhões. 

Para Jeremy Coller, head da Jeremy Coller Foundation, fundador da FAIRR e CIO da Coller Capital, a pressão dos investidores para as gigantes do fast food a apresentarem uma receita para conter seus enormes níveis de risco climático está surtindo efeito. “As redes de fast food precisam ver uma mudança significativa em direção a produtos sustentáveis de proteína vegetal se quiser cumprir seus compromissos”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.